O território é um dos principais e mais utilizados termos da Geografia, pois está diretamente relacionado aos processos de construção e transformação do espaço geográfico. Sua definição varia conforme a corrente de pensamento ou a abordagem que se realiza, mas a conceituação mais comumente adotada o relaciona ao espaço apropriado e delimitado a partir de uma relação de poder. Território significa os limites que delimitam ou separam um território do outro formando várias fronteiras. Os territórios são concebidos através de acordos ou conflitos, esses são estabelecidos de acordo com os interesses socioeconômicos e culturais. Alguns elementos são determinantes na composição de qualquer cultura, os elementos que mais demonstram a identidade cultural são, principalmente, a língua e a religião.

Friedrich Ratzel foi um dos pioneiros na elaboração e sistematização do conceito de território. Em sua análise, esse está diretamente vinculado ao poder e domínio exercido pelo Estado nacional, de forma que o território conforma uma identidade tal que o povo que nele vive não se imagina sem a sua expressão territorial. Outro importante autor que discutiu esse conceito foi o geógrafo suíço Claude Raffestin, que ressaltava o fato de o espaço ser anterior ao território. Com isso, ele queria dizer que o território é o espaço apropriado por uma relação de poder. Essa relação encontra-se, assim, expressa em todos os níveis das relações sociais. Segundo o geógrafo Milton Santos, o território não é apenas o conjunto dos sistemas naturais e de sistemas de coisas superpostas; o território tem que ser entendido como território usado, não o território em si: “O território usado é o chão mais a identidade. A identidade é o sentimento de pertencer àquilo que nos pertence. O território é o fundamento do trabalho; o lugar da residência, das trocas materiais e espirituais e do exercício da vida”. A sensação de pertencimento independe da fronteira oficial.

Alguns povos possuem cultura independente, porém não tem território, são os chamados minorias nacionais, que vivem subordinados aos regimes políticos divergentes às suas culturas, são também denominadas de sentimento nacionalista que corresponde a aspiração de um povo em conquistar a sua independência política e territorial, do estado ao qual está subordinado.

A Espanha possui um Estado multinacional, ou seja, contempla em seu território inúmeras nações ou troncos étnicos que possuem um relativo grau autônomo de organização e coesão sociais.




Quer saber mais? Conheça as regiões com movimentos separatistas na Espanha

No mundo existem várias áreas de focos de tensão provocadas por questões de fronteiras, que são as disputas territoriais por zona de fronteira. As lutas das minorias nacionais e as disputas por zona de fronteira têm alterado a configuração das fronteiras em várias partes do mundo. Um exemplo recorrente no ENEM é a questão dos conflitos entre Israel e Palestina, assista o vídeo abaixo para saber mais:

A nação é um agrupamento de pessoas ligadas e conectadas por características históricas em comum. Uma mesma língua, símbolos, religião, cultura e o compartilhamento de narrativas de formação ou mitos de origem. Nação seria o momento em que o povo se reconhece sob uma mesma bandeira, um mesmo ideal.

Atualmente, o território é concebido, nas mais diversas análises e abordagens, como um espaço delimitado pelo uso de fronteiras – não necessariamente visíveis – e que se consolida a partir de uma expressão e imposição de poder. No entanto, diferentemente das concepções anteriores, o território pode se manifestar em múltiplas escalas, não possuindo necessariamente um caráter político. Dessa maneira, os territórios podem possuir um caráter cíclico (que varia com o tempo), móvel (que se desloca nos mais diferentes espaços) e que se organiza a partir de redes que se interligam pelo fluxo de informações ou contatos. Um exemplo de território em rede seria o dos traficantes, que se organizam em células que nem sempre se encontram próximas uma das outras, mas que se articulam em redes de transporte de armas, drogas e comunicação.

Resuminho:

Nação: está ligada à identidade, à cultura e à história de uma sociedade. São agrupamentos ou organizações sociais que partilham os mesmos costumes, características, etnia, idioma e tradição.
Estado: refere-se ao controle político e à administração de um território. Ele é formado pelo conjunto de instituições públicas que representam, organizam e regem aquela sociedade.
Governo: é uma das instituições (ferramentas) que se usa no Estado. Ele é passageiro porque depende da (ou das) pessoa (as) que está (ão) no poder naquele momento. Cada tipo de governo possui uma função, objetivo e estilo.
País: o país é um limite de área geográfica. É a terra de um determinado povo, o berço daquela comunidade.
Estado-membro: a palavra “Estado” ( letra maiúscula) se refere às questões ligadas ao país. A palavra “estado” (letra minúscula) é o que chamamos de estado-membro. O Estado dividiu o país em áreas menores, para administrar mais de perto. Eles têm certa autonomia local, mas estão subordinados às leis do Estado maior.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.