Movimento feminista

“… as mulheres não são passivas nem submissas. A miséria, a opressão, a dominação, por mais que sejam, não bastam para contar a sua história. Elas estão presentes aqui e além. Elas são diferentes. Elas se afirmam por outras palavras, outros gestos. Na cidade, na própria fábrica, elas têm outras práticas cotidianas, formas concretas de … Mais Movimento feminista

Cultura, consumo, consumismo e comunicação de massa

Edward Tylor – Todo complexo que inclui conhecimento, crenças, arte, a moral, a lei, os costumes e todos os outros hábitos e aptidões adquiridos pelo homem como membro da sociedade. Franz Boas – Totalidade de reações e atividades mentais que caracterizam o comportamento dos indivíduos que compõe o grupo social. Bronislaw Malinowski – O todo … Mais Cultura, consumo, consumismo e comunicação de massa

Indústria cultural

“O consumidor não é soberano, como a indústria cultura quer fazer crer, não é o seu sujeito, mas o seu objeto” T. Adorno Primeiro, vamos entender o significado do conceito massa? De forma geral, usam a palavra “massa” para designar um grande número de pessoas. Tanto pode ser usado para referir-se ao conjunto da população, … Mais Indústria cultural

Teoria do indivíduo: Locke, Bentham e Stuart Mill

O contratualismo é um modelo teórico (uma idealização) da Filosofia Política, formulado para explicar o surgimento da sociedade. Por princípio, ele coloca os agrupamentos humanos vivendo em um tipo de organização pré-social, chamado estado de natureza. No estado de natureza não havia hierarquia institucionalizada, isto é, todos poderiam viver livremente, sem regras. Daí depreende-se outro … Mais Teoria do indivíduo: Locke, Bentham e Stuart Mill

Percurso das Constituições Brasileiras (Parte IV: 1988, a Constituição Cidadã)

República Federativa do Brasil CONSTITUIÇÃO DE 1988 VIGÊNCIA De 1988 aos dias atuais FORMA DE ESTADO E REGIME POLÍTICO República presidencialistaRegime de caráter democrático ELABORAÇÃO EINSTITUIÇÃO A sociedade civil passa a exigir o retorno à vivência democrática, a partir da emenda constitucional nº 5 (1983), de Dante Oliveira, cuja proposta era a volta às eleições … Mais Percurso das Constituições Brasileiras (Parte IV: 1988, a Constituição Cidadã)

Percurso das Constituições Brasileiras (Parte III: 1946 e 1967)

Estados Unidos do Brasil CONSTITUIÇÃO DE 1946 VIGÊNCIA De 1946 a 1967 FORMA DE ESTADO E REGIME POLÍTICO República presidencialistaRegime de caráter democrático ELABORAÇÃO E INSTITUIÇÃO Promulgada durante o governo do presidente Eurico Gaspar Dutra, datada de 18 de setembro de 1946, retomou a linha democrática de 1934 e foi promulgada de forma legal, após … Mais Percurso das Constituições Brasileiras (Parte III: 1946 e 1967)

Percurso das Constituições Brasileiras (Parte II: 1934 e 1937)

Estados Unidos do Brasil CONSTITUIÇÃO DE 1934 VIGÊNCIA De 1934 a 1937 FORMA DE ESTADOE REGIME POLÍTICO Segunda República Segunda RepúblicaRegime de caráter democrático ELABORAÇÃO E INSTITUIÇÃO Presidido no primeiro governo do Presidente Getúlio Vargas, o país realiza nova Assembleia Constituinte, instalada em novembro de 1933. Preservou a essência do modelo liberal da Constituição anterior.Promulgada … Mais Percurso das Constituições Brasileiras (Parte II: 1934 e 1937)

Percurso das Constituições Brasileiras (Parte I: 1824 e 1891)

Império do Brasil CONSTITUIÇÃO DE 1824 VIGÊNCIA De 1824 a 1889 FORMA DE ESTADO EREGIME POLÍTICO Governo monárquico, sucessório, constitucional e representativo.Regime de caráter autoritário ELABORAÇÃO E INSTITUIÇÃO Assembleia Constituinte é dissolvida pelo imperador que impôs o próprio projeto.Além dos três Poderes (Legislativo, Judiciário e Executivo), havia ainda o Poder Moderador.Outorgada – Constituição imposta ao … Mais Percurso das Constituições Brasileiras (Parte I: 1824 e 1891)