A população brasileira é composta de 48,2% de homens e 51,8% de mulheres. Na população brasileira, as mulheres são mais numerosas em 19 unidades federativas, esse número só é superado nos estados do Acre, do Amapá, do Amazonas, do Mato Grosso, do Pará, de Rondônia, de Roraima e do Tocantins.

Apesar de serem a grande maioria populacional no país, mulheres e negros – junto com povos indígenas, deficientes, LGBTQIA+ – são considerados minorias na sociedade quando analisamos os direitos conquistados e a representatividade. Ou seja, o termo minoria não representa quantidade, mas a qualidade no acesso a direitos. Como representado na figura abaixo, de pesquisa do IBGE:

Segundo a professora e coordenadora do Núcleo de Estudo de Gênero e Diversidade Sexual do campus Sorocaba da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), a psicóloga Viviane Mendonça: “Não são minorias porque são poucos, mas porque possuem poucos direitos garantidos, pouca representatividade nas instâncias de poder e pouca visibilidade no cenário social”, conta. “São sujeitos que em uma sociedade possuem pouca ou nenhuma voz ativa para intervirem nas instâncias decisórias de poder”. Para ler a entrevista sobre essa questão clique aqui.

Igualdade de gênero:

Representatividade na política:

O direito ao voto feminino brasileiro:

A representatividade na mídia

Dos filmes que você assiste, independentemente do gênero e da nacionalidade, da comédia ao terror, da aventura ao drama, reflita por um momento, em quais deles as mulheres conversam entre si? Em quais deles as mulheres possuem nomes próprios e, por último, em quais filmes essas conversas são sobre algo além de romance ou homens? Essas três questões representam o teste de Bechdel. Em 1985 a cartunista  Alison Bechdel elaborou essas questões para comprovar o sexismo existente na indústria cinematográfica. Ou seja, quando a mulher é vista e entendida como um ser que não é apêndice do homem? De acordo com o teste poucos filmes teriam o selo de Bechdel, como nos exemplos abaixo. E aí, você já assistiu algum dos filmes?

Gritos e Sussurros (Ingmar Bergman, 1972)
Ida (Paweł Pawlikowski, 2013)
A Criada (Park Chan-wook, 2016)
Picnic na Montanha Misteriosa (Peter Weir, 1975)
As Horas (Stephen Daldry, 2002)
Cidade dos Sonhos (David Lynch, 2001)
Volver (Pedro Almodóvar, 2006)
A Caixa de Pandora (Georg Wilhelm Pabst, 1929)
Persona (Ingmar Bergman, 1966)
Cléo das 5 às 7 (Agnès Varda, 1962)

Os mapas e gráficos utilizados neste post foram extraídos do Informativo sobre gênero, produzido pelo IBGE. Caso queira ter acesso ao conteúdo online clique no link a seguir Estatística de Gênero ou para baixar clique aqui.

Sites de interesse:

PNUD – Igualdade de gênero

Instituto Geledés – Igualdade de gênero

10 filmes aprovados no Teste de Bechdel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.