A Guerra Fria (1947-1991) foi uma polarização político-ideológica marcada por dois blocos: União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (U.R.S.S.) e Estados Unidos da América (EUA). Esse conflito iniciou-se após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Os historiadores marcam o começo desse cenário a partir do discurso realizado pelo então presidente estadunidense Harry Truman. A declaração de Truman recebeu o nome de Doutrina Truman, cujo princípio era o de conter os avanços do comunismo e reerguer a economia europeia. Um dos métodos para tanto foi o Plano Marshall (1948-1951), o programa consistia em fornecer ajuda econômica e técnica aos países da Europa Ocidental.

Instituições/Organizações elaboradas a partir do Plano Marshall:

Bandeira da União Europeia
Bandeira da OTAN

OECE (Organização para Cooperação Econômica Europeia)/1948 – coordenação da distribuição dos fundos empregados pelos EUA e integração dos países europeus diretamente evolvidos com os investimentos. Posteriormente essa estrutura se tornou o Mercado Comum Europeu ou Comunidade Economia Europeia, atualmente denominada União Europeia, maior bloco econômico do mundo.

OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte)/1949 – Inicialmente criada para impedir a expansão do comunismo na Europa ocidental, estabelecendo um pacto militar entre os países do Tratado do Atlântico Norte. Atualmente funciona a fim de garantir os interesses econômicos das nações membros.

Realizamos esse breve histórico para iniciarmos nossa discussão sobre como e os motivos para a regionalização mundial e os conflitos decorrentes dessa divisão. No período da Guerra Fria o mundo foi dividido em Primeiro, Segundo e Terceiro Mundo de acordo com o grau de desenvolvimento econômico, essa teoria é chamada Teoria dos Mundos e os seus termos vigoraram de 1945 a 1990. A classificação seguia as pontuações abaixo:

Teoria dos mundos (https://bit.ly/3guRDdC)

Primeiro Mundo – países capitalistas com características comuns, como economias de mercado, baixa ingerência econômica por parte do Estado, altos índices de industrialização, elevado nível tecnológico, indicadores sociais elevados (IDH – boa qualidade de vida, bons rendimentos, baixos níveis de analfabetismo, boa expectativa de vida etc.). Os países dessa classificação: Canadá, Estados Unidos, Europa Ocidental e Austrália.

Segundo Mundo – países socialistas que possuíam economia planificada (sistema econômico em que os meios de produção e a infraestrutura pertencem ao Estado, por meio de uma autoridade central). Essa designação deixou de ser utilizada, vários geógrafos trabalham com a ideia hoje economias emergentes e vários dos países que pertenciam a essa classificação são denominados hoje de países em desenvolvimento.

Terceiro Mundo – um aspecto comum aos países “terceiro mundistas” é o fato de terem passado por um processo de colonização profundamente predatória. Esses países possuem a economia subdesenvolvida ou em desenvolvimento (exportação de matérias-primas e baixa industrialização). O demógrafo francês Alfred Sauvy utilizou pela primeira vez esse termo em 1952 para designar os países que durante a Guerra Fria não se alinharam de maneira evidente à disputa ideológica entre EUA e URSS.

Nova Ordem Mundial/Globalização – Regionalização Norte e Sul

A terminologia mundista caiu em desuso, mas as mudanças de pertencimento dos grupos de países não sofreu graves modificações para a atual divisão Norte-Sul, especialmente considerando os países em desenvolvimento. Com o fim da União Soviética ocorreu a incorporação de parcela dos países da antiga U.R.S.S. e a inclusão da China, hoje com o segundo maior PIB do mundo.

Os países do Norte são caracterizados pelo elevado Produto Interno Bruto (PIB) e pelas condições históricas de poder e acúmulo de riquezas. São representados, em geral, pelos Estados Unidos, União Europeia e Japão.

Os países do sul apresentam as maiores taxas relacionadas à desigualdade social (pobreza, violência) e menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Sua situação de dependência econômica se deve aos processos de colonização, imperialismo e neocolonização impostos pelas nações consideradas desenvolvidas. Entre os países do sul, existem aqueles países chamados “emergentes” ou em desenvolvimento, são os BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), os Tigres Asiáticos e o México.

Critério para definir o IDH de um país:

  • Saúde: Realizado através da expectativa de vida dos habitantes, sendo um reflexo da qualidade de saneamento básico e serviços de saúde públicos;
  • Renda: Calculado através da Renda Nacional Bruta per capita, baseado no poder de compra dos cidadãos;
  • Educação: Feito através de uma média dos anos de estudo dos habitantes e o número esperado desses anos.  

Ranking de desenvolvimento humano

Ranking do IDH – 2019 — Foto: Infográfico: Juliane Souza/G1

Um comentário em “Regionalização Socioeconômica (Parte 1)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.