O conceito de trabalho é geralmente entendido como a atividade humana realizada com o objetivo de produzir uma forma de obtenção de subsistência. Isto é, o trabalho pode ser definido como a atividade sobre a qual o ser humano se empenha (física e mentalmente) para produzir os meios para o seu sustento. O trabalho é uma condição para a vida humana. Adiante veremos como distinguir trabalho de emprego.

A origem latina da palavra relaciona-se ao tripalium (tri, de três e palium, de paus). O tripalium era um instrumento para a agricultura, ele possuía três hastes aguçadas, algumas vezes com pontas de ferro, com ele os agricultores debulhavam o milho.

Não se sabe em qual momento histórico o significado e uso do tripalium foram ressignificados. O tripalium passou a ser empregado para fins de tortura, como representado na imagem que segue:

A partir do século XIV começou a ter o sentido que atribuímos hoje, isto é, de aplicação da força física e de empenho mental para a realização de uma tarefa. Mas a remuneração pelo esforço realizado demorou a acontecer. Durante a Idade Média existia a relação entre senhores feudais (os proprietários de terras) e os servos (os moradores das terras dos senhores feudais).

Das obrigações pagas pelos servos vale ressaltar:

  • corveia: trabalho agrícola e em infraestrutura (construção de pontes, edificações)
  • capitação: imposto anual pago individualmente
  • talha: porcentagem entregue ao senhor feudal pela produção
  • mão-morta: imposto pago pela morte do chefe da família, caso estes quisessem continuar utilizando as terras
  • banalidades: imposto pago para poder utilizar a infraestrutura do feudo

Qual a diferença para emprego?


Somente a partir do século XVIII o trabalho assalariado passa ser difundido. Parcela significativa do mundo começa a colocar a escravidão em desuso (aqui no Brasil, infelizmente somente ao final do século XIX).

Em resumo, emprego é a troca da capacidade física e mental por algum ganho, ou seja, recompensação financeira. Essa troca é mediada por um contrato (ainda que seja apenas verbal) entre as duas partes. O indivíduo produz, cria e recebe um valor em troca. Quando não envolve a compensação é trabalho ou trabalho escravo. Por isso podemos falar no belíssimo trabalho do joão-de-barro, mas não podemos falar sobre o emprego dele. Da mesma forma quando utilizamos nossas habilidades para estudar ou para lavar a louça de casa, estamos trabalhando, mas não empregados.

Quando falamos em trabalho como mediação estamos fazendo referência à humanidade interagindo com a natureza (ferramentas, construções etc.) e como esse processo transformou a sociedade humana em uma sociedade do trabalho. Nas próximas aulas veremos as relações criadas nesse desenvolvimento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.